Paraibano dono da CAOA é investigado na Operação Zelotes

O dono da CAOA, paraibano Carlos Alberto Oliveira Andrade, foi alvo de mandado de condução coercitiva- quando o investigado depõe e é liberado – ontem durante a quarta fase da Operação Zelotes, da Polícia Federal. Os agentes investigam esquema de lobby e corrupção para “comprar” medidas provisórias que favorecem empresas do setor automobilístico. A PF também prendeu ex-conselheiro do Carf e fez buscas em empresa que representa a Mitsubishi no Brasil.

A polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão em vários endereços. Entre eles, nas empresas de um dos filhos do ex-presidente Lula.

Pastas de documentos, provas, obras de arte. Os investigadores fizeram buscas em 18 endereços no Distrito Federal, em São Paulo, no Piauí e Maranhão. Foi uma operação conjunta da Polícia Federal, da Receita Federal e do Ministério Público Federal.

Seis pessoas foram presas: José Ricardo da Silva, ex-integrante do Carf; o sócio dele, Eduardo Valadão; Alexandre Paes dos Santos, apontado como lobista; o suposto lobista Hallysson Carvalho da Silva; e sócios de escritórios suspeitos de captar clientes para o esquema.

Um deles, Mauro Marcondes, é vice-presidente da Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos. Em todos os casos, a prisão é preventiva, sem prazo.

Houve buscas na MMC, representante da Mitsubishi no Brasil. As investigações indicam que o grupo criminoso conseguiu livrar a MMC de uma multa de R$ 265 milhões no Carf.

O fundador e presidente do conselho do Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, foi levado para depor.

Além de negociações escusas no Carf, os investigadores descobriram que a quadrilha também atuava em outra frente. A suspeita é de que ex-conselheiros do Carf, lobistas e empresário negociaram e pagaram propina para que medidas provisórias beneficiassem empresas do setor automotivo.

As provas indicam que os lobistas receberam a cópia da versão final antes de a medida ser publicada. A parceria criminosa se repetiu em relação à edição de ao menos três MPs.

Veja a nota emitada pela Caoa a respeito da Operação Zelotes:

Nota de Esclarecimento CAOA
26 de Outubro de 2015

Tendo em vista as notícias divulgadas pela imprensa na data de hoje, 26/10/2015, sobre os desdobramentos da Operação Zelotes, realizada pela Policia Federal, a CAOA vem a público para informar que o presidente de seu Conselho esteve na PF de São Paulo, para prestar depoimento, apenas na qualidade de testemunha-informante. Cumpriu seu dever de cidadão e atendeu à convocação referida.

A CAOA esclarece, outrossim que jamais contratou qualquer pessoa física ou jurídica ou pagou qualquer importância para a aprovação de Medidas Provisórias, especialmente as de 471/2009 e 512/2010, que constituem objetos da investigação.

Ressalta, também, que nos dois Recursos que impetrou junto ao CARF, a CAOA obteve resultados negativos, ou seja, esses recursos não foram acolhidos, por decisão unânime, o que significa que ali não obteve qualquer decisão que lhe favorecesse.

A CAOA reitera o seu compromisso com a ética, e repudia qualquer ato de corrupção. O compromisso da CAOA é com o crescimento do Brasil.

Redação

Compartilhar