Pedro Cunha Lima mantém voto contrário à Reforma da Previdência e critica Temer: “Governo contraditório”

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) não apenas sustentou sua posição de se manter contrário à votação da Reforma da Previdência, como ainda subiu o tom das críticas ao Governo Temer. O tucano declarou que não vai acompanhar a decisão do PSDB de ‘fechar questão’ em torno da matéria encaminhada pelo Planalto e ainda garantiu não temer prováveis punições da legenda.

Pedro disse não ter se encontrado com a Executiva Nacional, mas também que não iria modificar o posicionamento já anunciado antes. Na avaliação do parlamentar, ‘antes da Reforma da Previdência, é preciso fazer a reforma dos privilégios’. “O governo é contraditório. Diz que precisa fazer essa reforma porque acabou o dinheiro e não para de aumentar gastos. Se a gente tem um país que quebrou, a gente tem começar os cortes de cima para baixo e não o inverso”, criticou.

Para o deputado, antes de mexer nos trabalhadores é necessário cortar os excessos do gastos do Poder Público. “O Brasil é um país que tem mania de proteger o rico, de privilegiar a camada de cima da sociedade.  A gente tira do pobre para dar para o rico. A transferência de rendas  é às avessas. Isso tem que acabar, e momento de fazer essa reforma é agora”, opinou. O paraibano integra a metade da bancada da legenda que é contrária à mudança na Previdência. De acordo com o líder do PSDB na Câmara, deputado Ricardo Tripoli (SP) mais de 20 dos 46 parlamentares ainda não foram convencidos do tema.

Para aprovar o texto na Câmara é preciso que, pelo menos, 308 dos 513 deputados votem a favor da matéria. Até agora, além do PSDB, o PMDB, o PTB e o PPS também orientaram a bancada a votar de forma favorável ao projeto encaminhado pelo Planalto.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp