Pleno do TJPB promove Juiz de Pocinhos e de outros municípios à titularidade

Após um ano e quarto meses, Luiz deixa a Comarca de Pocinhos

O Juiz do município de Pocinhos, Luiz Gonzaga Rodrigues, foi promovido a condição de juiz titular da Comarca de pocinhos, juntamente com outros 26 colegas seus de magistratura. Com a promoção, o juiz agora passa a ter uma estabilidade maior no período de permanência na comarca, a primeira do Dr Luiz desde que ele foi nomeado pelo Tribunal de Justiça da Paraíba.

A decisão foi aprovada na sessão do pleno, que aprovou os juízes pelo critério de antiguidade e merecimento. Além de Luiz Gonzaga Pereira de Melo Filho, foram promovidos os juízes  Natan Figueiredo Oliveira, Fábio Brito de Faria, Brunna Melgaço Alves, Mathews Francisco Rodrigues de Souza do Amaral, Kleyber Thiago Trovão Eulálio, Pedro Henrique de Araújo Rangel, Rodrigo Augusto Gomes Vital da Costa, Agílio Tomaz Marques, Francisca Brena Camelo Brito, Hyanara Torres Tavares de Souza, Caroline Silvestrini de Campos Rocha, Lessandra Nara Torres Silva e Maria Eduarda Borges Araújo.

Agora, eles passam a ser titulares das seguintes comarcas, respectivamente: Pocinhos, Malta, Araçagi, Barra de Santa Rosa, Boqueirão, Coremas, Paulista, Taperoá, São José de Piranhas, Santana dos Garrotes, Soledade, Uiraúna, Mari e Alagoinha.

Pelo critério de merecimento, foram promovidos os juízes Renato Levi Dantas Jales, Vinicius Silva Coelho, Ana Flávia Jordão Ramos Fornarazi, Odilson de Moraes, Janete Oliveira Ferreira Rangel, Nilson Dias de Assis Neto, José Emanuel da Silva e Sousa, Fernanda de Araújo Paz, Ricardo Henriques Pereira Amorim, Bruno Medrado dos Santos, João Lucas Souto Gil Messias, Diego Garcia Oliveira e Mayuce Santos Macedo.

Esses 13 juízes serão titulares, respectivamente, das comarcas de Brejo do Cruz, Água Branca, Arara, Bonito de Santa Fé, Cacimba de Dentro, Juazeirinho, Prata, São Bento, São Mamede, Serra Branca, Sumé, Cabaceiras e Serraria.

Segundo o corregedor-geral de Justiça da Paraíba, desembargador José Aurélio da Cruz, vários requisitos foram avaliados como a moradia, a produtividade em termos de sentença, audiências realizadas e decisões interlocutórias. “Além das informações colhidas pela Corregedoria em visitas, correições e análises, também recebemos dados da Diretoria de Gestão Estratégica do Tribunal. Inclusive, trouxemos para os desembargadores o resultado comparativo de todos os juízes concorrentes”, comentou o corregedor.

Redação com TJPB

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp