PMCG exonera servidor acusado de participar de explosão a agência bancária de shopping

A Polícia Federal, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal e Civil, prendeu quatro pessoas acusadas de participar da explosão a agencia da Caixa econômica Federal do Partage Shopping. Dentre os suspeitos estava Romário Gomes Silveira, que está lotado como assessor do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues.

De acordo com o Sagres, Romário está lotado no Gabinete do Prefeito e recebe um salário de R$1.958,26. Segundo informações o acusado é filho de uma importante liderança e correligionário de Romero no tradicional bairro da Liberdade, conhecida por Neném e que inclusive foi uma indicação dele.

A operação conjunta recebeu o nome de Aurora,e até o início desta quarta-feira já havia cumprido sete mandados de prisão, sendo quatro prisões e três de busca e apreensão. Segundo a Polícia, foram apreendidos com os suspeitos celulares, um carro e uma moto com restrição de roubo.

Os acusados foram levados para a Polícia Federal, em seguida para a Central de Polícia, aonde foi apresentado à imprensa local. Segundo informações, Romário, junto a outros envolvidos, foram ouvidos e liberados.

RESPOSTA

Em contato com o programa Correio Debate, da Rádio Correio , o coordenador de Comunicação da Prefeitura Municipal de Campina Grande, Marcos Alfredo, disse quea prefeitura já exonerou o citado servidor, e explica que a exoneração não significa uma punição, mais uma forma de dar a oportunidade para o acusado se defender.

Logo após, a Prefeitura emitiu uma nota sobre o fato. Leia a nota na íntegra:

NOTA

A Prefeitura de Campina Grande lamenta a acusação de envolvimento do servidor comissionado Romário Gomes Silveira, lotado no Gabinete do Prefeito, no recente assalto à agência da Caixa Econômica Federal no Shopping Partage, de acordo com investigações da Polícia Federal. Ao mesmo tempo, informa que o citado servidor foi exonerado pelo prefeito Romero Rodrigues, no final da manhã desta quarta-feira, 7, por uma questão de zelo institucional. O ato está sendo publicado no Semanário Oficial do Município.

 A exoneração do servidor não significa, necessariamente, uma condenação antecipada em relação a uma acusação a qual ele terá oportunidade de apresentar defesa e, se for o caso, demonstrar sua inocência. De fato, trata-se de uma medida administrativa sensata e de respeito aos princípios que regem a gestão, sob a luz da ética, honradez e comportamento exemplar. Lamentavelmente, nenhuma instituição está imune a fatos isolados dessa natureza, mas cabe ao poder público tomar as medidas necessárias e cumprir seu papel institucional.

Campina Grande, 7 de fevereiro de 2018.

Redação

VEJA TAMBÉM

 

 

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp