Poeta Pocinhense cria cordel sobre o auxílio emergencial

65

Na noite desta terça-feira (21), o poeta Tiago Monteiro, da Cidade de Pocinhos, postou em suas redes sociais, um poema intitulado, “Auxílio Emergencial”. No poema o cordelista relata os principais problemas que os Beneficiários estão passando com o aplicativo da Caixa.
O artista também relatou de forma bem humorada situações reais e que são vivenciadas pelo povo Brasileiro .

Confira o Cordel

Auxílio emergencial

Criaram lá em Brasília
Um projeto genial
Pra que o povo recebesse
Auxilio emergencial
Parece que é de três “vez”
De 600 paus por mês
Do governo federal.

Como estou desempregado
Já fui logo me animando
Fiz o cadastro certinho
Seguindo todo comando.
Invés de dinheiro vivo
Eu só vejo o aplicativo
Me dizendo: “Analisando”.

Meu vizinho, Zé de Tôta
Desses cabras cachaceiro
Nunca trabalhou na vida
Nunca varreu nem terreiro
Não sei por qual simpatia
Fez o cadastro num dia
Noutro já viu o dinheiro.

Edigley de Chico Bento
Um cabra da pior raça
Vivendo fumando maconha
Cheirando cola na praça
Fez o cadastro anteontem
Recebeu seicentos ontem
Tá na rua, achando graça.

Já o pobre de Maneco
Passa o dia trabalhando
Vai pra rua, vai pra feira
Só vive negociando
Pra manter seu povo vivo
Mas no seu aplicativo
Aparece “Analisando”.

Eu já chamei tanto nome
Que já tô ficando rouco
Eu tô vendo tanta análise
Vendo a hora eu ficar louco
Sei que nasci pra sofrer
Mas enquanto eu não morrer
Vou tentanto mais um pouco.

Tiago Monteiro

João Cardoso – Paraíba Debate

Compartilhar

Enquete

Você é CONTRA ou A FAVOR de encerrar a quarentena do COVID-19?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp