Prefeito de Itabaiana pagou servidores do Município nesta quinta-feira

Os servidores do município de Itabaiana acordaram nesta quinta-feira (02) mais alegres. Isso porque receberam os vencimentos referentes ao mês de janeiro no dia de hoje, conforme foi informou o prefeito Dr Lúcio Flávio (PSB), ao Paraíba Debate.

 
O gestor explicou que o atraso se deu em virtude dos recursos advindos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) da gestão anterior que deixou um débito na folha de pessoal de R$2,5 milhões, além de não pagar os débitos referentes ao mês de dezembro e o décimo terceiro salário.

 
“Há muitas prioridades e nós estamos dividindo uma conta de quase R$10 milhões com o INSS porque o antigo gestor não recolheu. Em dezembro ele confessou essas dívida de empréstimos consignados com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal e débitos extras com a Cagepa no valor de R$ 4milhões”, explicou o prefeito.

 
Uma das promessas do gestor na época que foi candidato era de pagar a todos os servidores dentro do mês trabalhado, no entanto o socialista explicou que houve um problema técnico com o banco, já que toda a gestão de Itabaiana está sendo modernizada com um novo sistema de informática, além de um Censo realizado para contabilizar a situação da máquina pública.

 
“Precisávamos contabilizar, o Censo terminou no dia 27 de janeiro e houve um problema técnico que mudou o sistema no processamento de dados. Se não fosse esses problemas daria para pagar dentro do mês trabalhado. De qualquer maneira pagamos dentro do tempo hábil, já que a lei permite que o pagamento seja feito até o quinto dia útil”, salientou Lúcio.

 
O prefeito de Itabaiana também informou que estará no dia 20 de fevereiro sentando com o Sindicato dos Servidores Municipais de Itabaiana para tratar dos débitos referentes ao meses de novembro, dezembro e décimo terceiro deixados pela gestão anterior.

 
“Fica difícil você pagar R$ 2,5 milhões com apenas R$ 400mil em caixa. Dia 20 nós estamos sentando com o Sindicato para honrar esse débito, já que até o INSS de dezembro não foi pago e assim fica difícil colocar as contas em dia.Vou sentar com os representantes, mostrar a situação financeira e fazer um planejamento conjunto. Um município que tem aproximadamente R$ 1,5milhão de FPM não teria como do dia pra noite resolver a situação de uma folha de pessoal na ordem de R,$2,5milhões”, finalizou.

Redação

 

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp