Prefeito eleito de Lagoa de Roça diz que pegará prefeitura sucateada

Severo foi eleito com 4.612 votos.

Em entrevista concedida neste sábado (05), ao programa “Se Liga Aí”, na rádio cidade Esperança (AM 1310), o prefeito eleito de São Sebastião de Lagoa de Roça, Severo Luís do Nascimento Neto, do PSDB, disse que o município vive um cenário de descaso e responsabilizou a atual prefeita, Socorro Cardoso (PMDB), pelos desmandos em todas as áreas administrativas da prefeitura. Severo ainda relatou que terá dificuldades de administrar logo no início da gestão, que inicia dia 1º de janeiro de 2017, visto que a prefeitura estaria “sucateada”.

A passagem da atual prefeita, Socorro Cardoso, pela prefeitura de São Sebastião de Lagoa de Roça, causou muitos desmandos e as consequências foram comprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE/PB), que reprovou as contas da prefeita nos anos de 2013 e 2014 e, ainda, impôs débito de R$ 11.479,49 por gastos excessivos com bens e serviços, como entendeu o relator Arnóbio Viana. A mesma gestora também respondeu pelo não recolhimento de contribuições previdenciárias.

Na educação a prefeita causou um estrago maior. De acordo com Severo, os professores estariam sem receber os seus vencimentos e a conclusão foi a paralisação das atividades e apenas 90 dias de aula.

Outro problema enfrentado pela população da cidade seria com relação ao atendimento na policíclica; sem profissionais o atendimento foi interrompido.

Severo ainda pontou que os principais transportes estariam totalmente sucateados, a exemplo de tratores e ônibus escolares; sem manutenção e reparo.

Mas, diante da crise municipal, o prefeito eleito anunciou que não medirá esforços para organizar as contas públicas e garantir um funcionalismo público de qualidade. “Minha primeira medida à frente da prefeitura será organizar as finanças e garantir o salário dos funcionários dentro do mês trabalhado”, anunciou.

Outra notícia animadora foi oriunda do deputado Federal Pedro Cunha Lima, que prometeu uma emenda de 600 mil aos cofres da cidade.

Redação.

Compartilhar