Prestes a assumir comando da ALPB, Gervásio descarta substituir Azevêdo na disputa de JP: “Meu foco é outro”

Eleito próximo presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba para o biênio 2017/2018, o deputado estadual Gervásio Maia Filho, do PSB, descartou, nesta quarta-feira (27), substituir o secretário João Azevêdo na disputa pela prefeitura de João Pessoa, após a mudança de estratégia da sigla.

“Eu estou em outro projeto, por escolha do nosso partido, por escolha dos partidos da base aliada, eu não tenho nem como pensar nisso, o meu foco é outro. Nós estamos no quarto mandato aqui na Assembleia, fui presenteado pela confiança dos meus colegas para presidir a Casa pelos próximos dois anos, sucedendo a grande gestão de Adriano Galdino, então não tenho como me colocar á disposição, meu foco é outro, meu projeto é outro, mas estarei debruçado nestas próximas decisões e pronto para ajudar a sigla”, disse.

Gervásio destacou que o PSB teve uma decisão acertada, destacando que Azevêdo é uma das peças principais na “engrenagem” que faz o Governo do Estado funcionar, é quem está a frente de obras em andamento e de projetos a serem executados e que sua saída, neste atual cenário de crise nos estados, seria sim um grande desfalque para a Paraíba.

“Um dos pontos mais importantes da nota, e eu já comentava isso, era da importância que João Azevêdo tinha como um todo. Ele é um super-secretário, de muita importância dentro do papel que vem exercendo o PSB na administração estadual. Então, tirar uma pessoa como João de dentro dessa engrenagem, era realmente uma situação complicada. O partido pesou, mediu e entendeu que o grupo dispõe de outros nomes.”, destacou.

Gervásio destacou a sensatez da cúpula socialista, mas não arriscou torcida por nenhum nome.

“Eu tenho simpatia por todos os nomes que estão sendo citados, o PSB tem uma gama de nomes sérios, e a escolha não será um problema. Essa não foi uma decisão fácil, mas era para ser tomada. A engrenagem não podia parar e ele era uma peca importante, se tornou imprescindível. Ele se preocupa com o cenário, em relação as obras em andamento, a projetos que estão tramitando, e parar tudo isso seria complicado diante do ritmo que o Estado adotou”, ressalto.

Para o parlamentar, o excesso de zelo do PSB com a coisa pública foi o fator principal da mudança

“O PSB mede as consequências das decisões tomadas”, arrematou.

Com PB AGORA

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp