Professor no Ceará cria paródias com músicas de Safadão para ensinar conteúdo do Enem; confira vídeo

Um professor do município de Juazeiro do Norte, a 493km de Fortaleza, desenvolveu paródias com músicas de forrozeiros, entre eles Wesley Safadão e Mano Walter, para ensinar seus alunos o conteúdo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado neste sábado, 5, e domingo, 6, em todo o Brasil.

Guilherme Lemos Franca, de 32 anos, é formado em Geografia e tem mais de 2.500 alunos. Ele leciona em uma escola pública, com 200 horas/aula, e em quatro colégios particulares, com a disciplina de Atualidades, além de promover cursinhos para o Enem.

A ideia surgiu em 2014, quando o professor ajudou um grupo de alunos a desenvolver uma paródia durante uma competição. Desde então, não parou mais e já conta com 15 paródias em seu repertório. “O processo de criação consiste na escolha da música e análise de rima. Faço uma lista das informações principais, o que não pode faltar na canção. Não damos um sentido deturpado, pejorativo à música, e sim um cunho pedagógico. “, explica Guilherme.

O ex-aluno João Lucas Vieira Silva, de 18 anos, ajuda na criação das músicas. “Eu e João Lucas fazemos as estrofes e deixamos o refrão por último. Testamos com karaokê ao fundo e cantamos para verificar se está no tempo correto e aí aplico em sala”, conta o professor.

A primeira paródia a fazer sucesso e chamar a atenção dos alunos foi a “Lei do Feminicídio”, que tem como base a música “Balada do Vaqueiro”, do cantor Mano Walter, em que Guilherme aborda o tema da violência contra a mulher. Atualmente, o professor tem utilizado músicas de Wesley Safadão, como “Solteiro de Novo”, “A Dama e o Vagabundo” e “Meu Coração Deu Pt”, em que ele aborda os 30 anos do acidente nuclear de Chernobyl, a tragédia em Mariana e a motivação para o Enem, respectivamente (confira o vídeo a baixo).

A aluna Maria Isabelly Ferreira Pinheiro, de 20 anos, ressalta que é importante o aprendizado neste formato. “A proposta de fazer paródias para trabalhar temas de grande relevância foi uma feliz aposta. Uma maneira irreverente e entusiasmada de nós fazer lembrar número de leis, o cerne da questão de cada assunto abordado em sala de aula. Sem contar que as músicas são as ‘chicletes’ do momento, o que deixa mais fácil memorizar. Alguns criticam esse método de ensino, mas o professor Guilherme soube usá-lo muito bem à seu favor para promover melhor rendimento de nós, alunos”, diz Isabelly.

O professor afirma que este processo tem ajudado muitos alunos em Juazeiro do Norte. “Educadores como Edgar Morin e Paulo Freire propõem uma reflexão à cerca de uma educação que seja transformadora e partimos da premissa de que o professor é um mediador que deve construir o conhecimento através das experiências de seus alunos. As paródias são ferramentas pedagógicas que facilitam a compreensão do conteúdo. Como afirma Freire, ‘educar é impregnar de sentido cada momento da vida, cada ato cotidiano’, inclusive aprender cantando”, finaliza Guilherme.

Confira vídeo

 

Fonte: http://blog.opovo.com.br/

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp