Professores Rangel Junior e Flávio Romero tomam posse para comandar destinos da UEPB até 2020

No Jubileu dos 50 anos, uma nova etapa começou na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), com a nomeação e recondução ao cargo de reitor do professor Rangel Junior e posse do professor Flávio Romero Guimarães como vice-reitor da Instituição. Eleitos na consulta prévia realizada em maio deste ano, com 60,69% dos votos válidos dos três segmentos, e nomeados no último dia 13 de dezembro pelo governador Ricardo Coutinho, os professores foram empossados oficialmente nesta quinta-feira (15) pelo Conselho Universitário (Consuni), para o quadriênio 2016/2020.

A solenidade foi realizada no Museu de Arte Contemporânea (MAC), em Campina Grande, e presidida inicialmente pelo professor Orlando Ângelo da Silva, o mais experiente conselheiro com assento no Consuni. A cerimônia reuniu professores, pró-reitores, diretores de Centros, chefes de Departamentos, coordenadores de cursos, técnicos administrativos e estudantes da Universidade.

Conforme rege o protocolo, Rangel Junior e Flávio Romero foram conduzidos até a mesa por uma comissão especial, formada por diretores dos oito câmpus da UEPB. Na mesa, além dos empossados, estavam o professor Leonardo Ferreira Soares, representando a Associação de Docentes (ADUEPB); o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior do Estado da Paraíba (SINTESPB-UEPB), Fernando Borges; o professor Félix Araújo Neto, que representou o prefeito Romero Rodrigues; e a presidente da Fundação Parque Tecnológico, Francinete Garcia, que representou no ato o governador Ricardo Coutinho.

A leitura do termo de recondução e transmissão dos cargos foi feita pela secretária dos òrgãos de Deliberação Superior da Instituição, Maísa Marques dos Santos. Em seguida, os dois professores assinaram o livro de posse. Ainda sob a responsabilidade de presidir os trabalhos, o professor Orlando Ângelo procedeu o ato de transladação das vestes talares reitorais ao professor Rangel Junior. Já investido do cargo, Rangel Junior repetiu o gesto, revestindo com as vestes solene o vice-reitor Flávio Romero.

Primeiro a fazer uso da palavra, o professor Flávio Romero fez um discurso com traços literários e afirmou que o tempo que se inicia será marcado pela construção da identidade democrática da UEPB. Ele fez um relato de sua trajetória na Instituição e lembrou que todo esse tempo foi marcado por lutas, conquistas e desafios. “O que nos reserva o tempo presente? Tempos de desafios”, disse, acrescentando que estes desafios não podem ser encarados dentro de uma perspectiva de quem sucumbe.

Reconduzido para mais quatro anos de mandato à frente dos destinos da UEPB, o reitor Rangel Junior fez um discurso recheado de palavras que conclamaram a comunidade universitária a continuar na luta pela construção de uma sociedade mais justa. Ele lembrou que há 50 anos a UEPB produz e compartilha saberes, capacitando profissionais cidadãos e cidadãs de várias gerações, raças, classes sociais, culturas e localidades do Brasil e do mundo, especialmente da Paraíba. “Estou aqui como sucessor de mim mesmo. Jamais repetidor de mim mesmo. Se tudo na vida é permanência e mudança, podemos pensar e sugerir para o futuro em construção que queremos alimentar uma inspiração que se renova”, destacou Rangel.

O ato de posse e de nomeação, segundo ele, diz respeito a um ritual de passagem, tendo em vista que demarca, ao mesmo tempo, aquilo que se encerra com uma expectativa sobre o futuro. Entre passado e futuro, o reitor destacou que há o intervalo que exige atos imperativos para a tomada de decisões. Para ele, o que marca o presente, assim, é sua implacável exigência resolutiva para agir. “Ser nomeado reitor requer o duplo exercício de lançar um olhar sobre a história e, ao mesmo tempo, para o devir, para a experiência passada e o que se impõe como desafio”, frisou Rangel.

Diante da emergente necessidade de se colocar sobre o futuro, o reitor apresentou alguns dos projetos que pretende realizar nos próximos quatro anos. O primeiro passo diz respeito à garantia da institucionalidade, ou seja, ao plano das relações formais que orientam a Universidade Estadual da Paraíba para a educação de ensino superior público, gratuito e de qualidade. Ele também defende à articulação da Instituição junto aos projetos em curso na Paraíba, especialmente àqueles alinhados para seu desenvolvimento estratégico, além do empenho e ênfase para demonstrar o valor inequívoco da UEPB como patrimônio do Estado da Paraíba.

“Que seja a UEPB uma instituição comprometida com a formação de pessoas, que agrega em torno de si as mais diversas motivações próprias da educação, como a crítica, a objetividade científica e as paixões que lhes são decorrentes”, destacou. Nessa perspectiva, Rangel conclamou todos a fazerem da UEPB um espaço do debate por excelência, não do esvaziamento. Na sua visão, a Instituição deve se transformar em um lugar do dinamismo de ideias e da reflexão sobre os temas mais urgentes.

Professor Junior prometeu esforço para reestruturar a Universidade e lutar por mais recursos, além de otimizar suas ações, adequando-a aos tempos de crise, porém sem se apequenar diante dela. “A luta por melhores dias, por justiça social e por um mundo melhor para todos é parte essencial do nosso DNA de sonhadores e visionários”, salientou. Aos professores, aos técnicos administrativos e aos estudantes, ele fez um convite para que não descuidem da nobre missão de educar e de serem educados, todos em comunhão.

“Tenham uma certeza: não nos desviaremos dos nossos compromissos. Enfrentaremos com coragem, firmeza e determinação os desafios, mas não seremos os donos e messiânicos pregadores de supostas verdades, incabíveis num ambiente crítico como é e deve ser sempre uma universidade”, garantiu Rangel Junior. O reitor também apontou que a Universidade deve obter novos avanços na ciência e no pensamento crítico, sendo cada dia mais comprometida com o progresso social e com uma busca efetiva de ser a vanguarda do seu tempo.

Os representantes da ADUEPB e do SINTEPB, Leonardo Ferreira e Fernando Borges, respectivamente, também discursaram e desejaram uma administração profícua aos gestores.

 

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp