Salário dos professores de Pocinhos só será pago quando a justiça determinar, diz secretário

Na tarde desta quinta-feira (01), o secretário municipal de educação de Pocinhos Júlio Apolinário afirmou em entrevista a nossa equipe de redação que tinham um calendário aprovado pelo Conselho Municipal de Educação e surgiram alguns problemas impedindo a execução do mesmo. O ano em Pocinhos começou com um cenário conturbado, pois as aulas que deveriam ter começado no mês de fevereiro, ainda não tiveram início. Segundo Apolinário, o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (SINTAB) protocolou uma greve e a prefeitura decidiu judicializar o processo.

O secretário declara que as escolas estão com reparos, concluindo o reparo do Colégio Municipal Padre Galvão e ainda afirma que não receberam reclamações referentes às outras escolas. Com relação aos transportes, alega que já foram concluídas as revisões.

Quando a conjuntura envolve o aspecto financeiro, o cenário é bem mais complicado, pois de acordo com informações do secretário de educação, antes do dia 26 de janeiro, foi pago 40 % da folha referente ao terço de férias e os salários do mês de janeiro, faltando assim 60 %. Ele justifica que isso ocorre devido o município ter 100% do seu quadro de professores efetivos, quebrando assim a receita.

No que concerne à questão pedagógica, a prefeitura deverá usar o tempo como seu aliado, pois ainda haverá a terceira reunião para programar a jornada pedagógica e o início das aulas que ocorrerão no próximo dia 12.

Ao ser questionado se essa realidade não seria um desrespeito a quem tanto contribuiu para o desenvolvimento do município e se os servidores deveriam ser a prioridade da atual gestão, Apolinário finaliza “Sabemos que a educação é a mola propulsora da sociedade, minha expectativa é que não caíamos no mesmo erro cometido em 2017, pretendo assim contribuir com a última gestão da secretaria, devendo-se cumprir o diálogo e dar dignidade aos servidores da educação. Choramos juntos e sorriremos juntos”.

Redação

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp