Servidores denunciam em grupo de WhatsApp descaso na educação e saúde municipal

Denúncias de falta de condições de segurança e trabalho nas escolas e nos PSF´s de Campina Grande, vem sendo confirmadas em depoimentos e prescrições médicas. No último final de semana num grupo de Whatsapp denominado “Gestores Escolares PMCG”, servidores da educação denunciaram o descaso da gestão municipal com a segurança nas escolas, noutra área a da saúde médicos confirmam em suas prescrições a falta de medicamentos básicos e insumos nas suas unidades.

Segundo a denúncia dos diretores escolares neste final de semana a falta de segurança nas unidades escolares ocasionou o arrombamento de mais duas unidades municipais, uma no distrito de São José da Mata e outra no bairro de José Pinheiro. “Meu Deus, até quando? Custa quase nada para o governo colocar cerca elétrica e monitoramento”, revela uma das diretoras no grupo, sob a ausência da PMCG.

Noutra postagem uma diretora afirma que a Prefeitura cortou no mês de março as gratificações dos vigilantes e alegou que não tinha dinheiro para por nem cerca elétrica, nem monitoramento eletrônico. “Gente temos que fazer algo, porque é uma burocracia tão grande para adquirir bens para as escolas e tudo isso pertence a comunidade”, lamenta outra diretora sobre  o prejuízo que causa os arrombamentos para as escolas.

Saúde sem remédios – Noutra vertente médicos dos PSF´s vêm reclamando em suas prescrições médicas que não há medicamentos básicos para o funcionamento dos PSF´s como: Omeprazol, Sulfato Ferroso, Cefalexina, Azetromicina, Soro de reidratação oral, Coratonina, Descloferamina, Nestadina, Dipirona , Soro Nasal, Puran 25mg, Clenil, dentre outros que segundo os médicos só tem previsão de chegada para a segunda de Abril.

 Fonte: Jornalismo sem Fronteiras

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp