Sousa tem surto de dengue e clínicas lotadas

Imagem: Venilton Kuchler / ANPr

Uma funcionária não identificada de uma clínica particular da cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba, confirmou que muitos pacientes com sintomas de dengue têm procurado atendimento nos últimos dias.

A população desta cidade, a 438 km de João Pessoa, tem enfrentado um surto de dengue nas últimas semanas. Moradores comentaram nas redes sociais sobre o alto número de internações em hospitais públicos e privados devido à doença. Em algumas situações, pacientes precisaram ser transferidos para centros de saúde mais avançados.

Ao Portal Correio, uma funcionária de uma clínica particular da cidade confirmou que muitos pacientes com sintomas de dengue têm procurado atendimento nos últimos dias. Ainda de acordo com ela, algumas pessoas com sintomas mais leves da doença chegaram a ficar sem atendimento por conta da superlotação na clínica.

“Na semana passada, duas crianças, de oito e cinco meses, precisaram ser transferidas para João Pessoa, pois estavam com as plaquetas muito baixas”, disse ela, que preferiu não ser identificada na matéria. A funcionária destacou que não houve casos que evoluíssem para hemorragias.

A Secretaria da Saúde do Estado não informou dados específicos do município de Sousa, mas divulgou que a gerência responsável por ele e mais 14 somaram 412 casos de arboviroses (dengue, zika e chikungunya) de janeiro a abril deste ano. Em todo o estado, houve mais de 2.000 casos no mesmo período. Líder no ranking das doenças, a dengue foi notificada 1.643 vezes.

Apesar dos números expressivos, a Secretaria da Saúde afirma que uma série de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti são realizadas, entre elas: monitoramento e acompanhamento da situação epidemiológica e ambiental; mobilização e distribuição de material educativo referente às arboviroses; apoio técnico “in loco”; e intervenção com aplicação do UBV Pesado (carro fumacê). No período de 1 de janeiro a 31 de março de 2018, foram realizadas 1.735.881 visitas domiciliares, sendo que 149.641 imóveis (8,6%), nos 223 municípios paraibanos, estavam fechados.

“Por causa do período de chuvas, recomendamos às Secretarias Municipais de Saúde a continuidade das ações, intensificadas e integradas com os setores de infraestrutura, limpeza urbana, Secretarias de Educação e Meio Ambiente, entre outros, de modo a sensibilizar a população para exterminação dos criadouros do mosquito contribuindo para o controle das Arboviroses”, destaca o gerente operacional de vigilância ambiental, da SES, Geraldo Menezes.

Fonte: Portal Correio

Veja também: Presos são transferidos para isolamento depois de descoberta de escavação em cela no PB1

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp