Temer quer suspender reajustes e barrar aumento do Supremo

Michel Temer pediu a suspensão temporária da votação de projetos que reajustam o salário de servidores públicos. Temer conta com seus aliados para para barrar o aumento do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal. As informações são do Jornal Folha de São Paulo.

 A intenção do presidente em exercício é esperar o fim do julgamento da presidente Dilma, que começa dia 25 deste mês, e a votação da proposta que limita o aumento dos gastos públicos à inflação registrada no ano anterior.

O governo Temer demonstra que não vai aprovar aumentos salariais antes de aprovar as medidas que limitam o crescimento dos gastos públicos.

Projetos de lei que reajustam o salário de mais de dez categorias, incluindo Polícia Federal e Receita Federal, devem ficar arquivados na Câmara, enquanto o governo tenta tirar a urgência da proposta de aumento para os ministros do Supremo, que elevaria o teto do funcionalismo público em todo o Brasil.

Por enquanto, Temer está aceitando a ideia do PSDB de congelar os reajustes por conta da crise econômica, e com o aumento repentino de gastos com pessoal da União, dos Estados e dos municípios. Mas não se sabe até quando o presidente interino atenderá o pedido dos tucanos já que outros aliados são a favor do aumento.

Compartilhar