TSE concede prazo para a defesa e julgamento da chapa Dilma-Temer é adiada

O plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu nesta terça-feira (4) por quatro votos a três concender prazo de cinco dias para a defesa analisar os autos. O relator da ação, ministro Herman Benjamim havia concedido dois dias com base no prazo de uma das ações que foram aglutinadas na ação que está sendo analisada hoje.

Votaram pelo alongamento do prazo os ministros Gilmar Mendes, presidente da corte, Napoleão Nunes, Henrique Neves e Luciana Lóssio. Foram vencidos o relator Herman Benjamin, Rosa Weber e Luiz Fux.

O mérito do julgamento, portanto foi adiado. Após definir o novo prazo de defesa, os ministros acataram ainda o pedido da defesa da Dilma para ouvir o ministro Guido Mantega e o pedido do Ministério Público Eleitoral de ouvir os marqueteiros João Santana, Mônica Moura e André Santana.

As questões discutidas nesta terça são as chamadas preliminares, pedidos da defesa e do MPE que podem ser feitas antes da discussão de mérito da ação, que é se houve abuso de poder político e econômico nas Eleições de 2014 pela chapa Dilma-Temer pelas suspeitas de uso de dinheiro da Odebrecht via caixa dois.

Redação com R7

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp