UEPB realiza premiação do “Concurso de Cordel Jackson do Pandeiro: 100 anos do Rei do Ritmo”

O poeta Tiago Monteiro Pereira será um dos premiados no próximo sábado pelo cordel Nos Passos do Rei do Ritmo, criado para o “Concurso de Cordel Jackson do Pandeiro: 100 anos do Rei do Ritmo” realizado ano passado. O evento realizado pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) ocorrerá às 9h30 ao ar livre, na área localizada na parte inferior do Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP), em Campina Grande, e obedecerá às restrições sanitárias vigentes.

Efetuado pela Pró-Reitoria de Cultura (Procult) em parceria com a Academia de Cordel do Vale do Paraíba (ACVPB), o certame literário foi o primeiro no gênero cordelístico, na UEPB, aconteceu em dezembro do ano passado e previa como prêmio a publicação e distribuição das obras vencedoras, contemplando 10 ao todo.

A Gráfica da UEPB foi utilizada para cumprir o disposto no edital. Cada título teve a tiragem de dois mil exemplares, sendo que 50% desse montante seguiria para os autores; 40% para a UEPB; e 10% se destinaria ao Sistema de Bibliotecas Públicas da Paraíba. A formatação imagética do material coube à Procult. Para isso, escolheu-se o padrão “A5” por ser bastante usado atualmente na confecção de folhetos.

Na seleção foram levados em conta aspectos como métrica, rima, coerência do texto e respeito ao tema do edital, bem como a criatividade poética. Entre os requisitos estéticos e éticos do Concurso também estavam, privilegiar a pluralidade de ideias, problematização e respeito à diversidade humana e social, bem como ser isento de textos e/ou imagens indicativas de preconceitos ou estereótipos remetendo a discriminações de qualquer natureza.

Os selecionados foram: Antonio de Pádua Gomes da Silva (Jackson do Pandeiro Centenário: Retalhos de sua Vida); José Ferreira de Lima Neto (Retalhos Históricos do Rei do Ritmo); Anne Karolynne Santos de Negreiros (Jackson em Cordel: O Rei do Pandeiro); José Roberto da Silva Moraes (100 Anos de Jackson Brasileiro); Tiago Monteiro Pereira (Nos Passos do Rei do Ritmo); Vicente Ferreira de Amorim Filho (Jackson do Pandeiro – Luz em Forma de Ritmo), Ana Bárbara da Cunha Luciano (O Pandeiro Criador e Jackson Nosso Senhor); Janduhi Dantas Nóbrega (A História do Marido da Mulher que Virou Homem); Lucas de Lima Oliveira (O Rei do Pandeiro e o Pandeiro do Rei); Mazukyevicz Ramon Santos do Nascimento Silva (Do Pandeiro ao Mundo Inteiro: Jackson do Povo Brasileiro).

Alfrânio Gomes de Brito, Antônio Kydelmir Dantas de Oliveira, Chico D’assis, Marcelo Soares, Marconi Araújo e Silas Silva da Paraíba, compunham a Comissão Julgadora do Concurso. Já na Comissão Organizadora figuravam Igor Nóbrega Carvalho, José Cristóvão de Andrade, Joseilda de Sousa Diniz, Josenildo Lima, Marconi Araújo, Oziella Inocêncio, Patrícia Cristina de Aragão Araújo e Uirá Agra.

“Cordel no Museu”
A entrega da premiação foi inserida no “Cordel no Museu”, programação já integrada ao MAPP, que objetiva dar fôlego à cadeia produtiva dos folhetos na cidade, abrangendo desde poetas e xilogravuristas, até editoras, vendedores e apologistas, incentivando, igualmente, a formação de público. A atividade também é promovida pela Procult tendo a ACVPB como pilar.

A ocasião contará, ainda, com o lançamento de “As Aventuras de Ciba e Pitelim no Multiverso da Física e Outros Cordéis”. De autoria de Josenildo Lima, Jean Sousa e Samuel Feitosa, o livro foi um dos vencedores do Concurso Obras Poéticas, idealizado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em 2019. Conforme a sinopse, a publicação apresenta narrativas em versos de cordéis que contextualizam conceitos e fenômenos físicos comuns ao cotidiano, a partir de histórias inspiradas em aventuras típicas do povo do interior nordestino.

As estrofes giram, principalmente, ao redor do diálogo de “Seu Pitelim”, um sertanejo curioso, de vida simples, e do filho dele, Ciba, garoto aplicado que ensina e aprende coisas sobre Ciências através da prática do dia a dia. Assim, os capítulos trazem conversas divertidas, baseadas nos contadores de causos e nas vivências dos autores.

Compartilhar