Vaticano confirma caso de Covid na residência Santa Marta, onde vive Papa Francisco

27
Padre caminha pela Via della Conciliazione, próxima à Cidade do Vaticano, em foto de 2 de setembro — Foto: Remo Casilli/Reuters/Arquivo

No sábado (17), o Vaticano anunciou que um morador da residência Santa Marta, onde também mora o Papa Francisco, foi diagnosticado com a Covid-19 e colocado em isolamento. O homem, que não foi identificado, está assintomático e todos seus contatos também foram isolados. Este não é o primeiro caso na residência que abriga cardeais e membros do clero em mais de 130 quartos e suítes. Em março, um outro morador teve resultado positivo para o coronavírus durante o auge da pandemia na Itália.

De acordo com o Vaticano, Papa Francisco é testado regularmente para a Covid e irá cumprir normalmente com sua agenda oficial neste sábado. O argentino teve parte do pulmão retirada por conta de uma infecção quando era mais jovem. Francisco participou de três audiências privadas nesta manhã e recebeu um grupo de policiais italianos. Na semana passada, quatro membros da Guarda Suíça, a força de elite que protege o Papa, testaram positivo para a Covid.

Outros três moradores do Vaticano, que recentemente foram diagnosticados com o coronavírus, se recuperaram, segundo um comunicado publicado neste sábado. A Cidade do Vaticano é uma pequena cidade-estado no meio de Roma.

Segunda onda na Itália

Pessoas vestem máscara em frente ao Coliseu de Roma, em 13 de outubro. País reforçou medidas de restrição para a Covid-19 — Foto: Guglielmo Mangiapane/Reuters

Na sexta-feira (16), a Itália registrou 10.010 novos casos por coronavírus em apenas 24 horas. Essa foi a maior contagem diária desde o início do surto no país e o recorde anterior havia sido na quinta-feira (15), quando o país contabilizou 8.804 novas infecções. O Ministério da Saúde italiano também relatou 55 mortes relacionadas ao coronavírus, contra 83 no dia anterior. O número é bem menor que os registrados no auge da pandemia na Itália (março e abril), quando um pico diário de mais de 900 mortes foi alcançado.

A Itália foi o primeiro país da Europa a ser atingido pela Covid-19 e tem o segundo maior número de mortos no continente depois da Grã-Bretanha – 36.427 mortes, de acordo com dados oficiais. O governo italiano impôs na terça-feira (13) novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares em uma tentativa de diminuir o aumento de infecções.

Redação Paraíba Debate com Informações G1

Compartilhar