Vereador Murilo Galdino critica vetos do executivo e câmara aprova projeto de iniciativa eletrônica popular

Durante votação em bloco de vários projetos, na última quarta-feira, 28, na Câmara Municipal de Campina Grande, o líder da oposição vereador Murilo Galdino (PSB) conseguiu a aprovação do projeto de iniciativa eletrônica popular, que permite à população encaminhar sugestões de proposituras através da internet. Na ocasião, o vereador declarou em entrevista, sua indignação aos vetos do prefeito Romero Rodrigues a projetos importantes dos vereadores oposicionistas. De oito vetos enviados esta semana pelo executivo, três foram aos projetos do socialista.

Um dos vetos que causou mais estranheza a Murilo Galdino foi o que prevê a isenção do IPTU para pessoas com deficiência. Há poucos meses, o Executivo enviou projeto para a Câmara concedendo incentivos fiscais às instituições privadas de ensino superior da cidade. “A Prefeitura nega este direito a pessoas que precisam gastar com assistência de saúde e medicamentos, mas fez concessões recentes a grupos privados e consolidados na cidade, gostaria de saber qual a lógica que rege estas decisões e os vetos”.

O socialista disse que os vetos a projetos de interesse da população sinalizam uma espécie de queda de braço. “Não quero acreditar que haja motivação puramente política porque estamos em polos diferentes, visto que há questões que se sobrepõe a isso, mas não consigo encontrar outra explicação”, disse.

Projeto aprovado

Em projeto aprovado hoje, por unanimidade, o vereador Murilo Galdino cria a iniciativa eletrônica popular para a apresentação de projetos que possibilita ao cidadão, o envio de projetos de leis a um vereador que o apresentará em plenário. A comunicação será feita sem burocracia através de e-mail que será disponibilizado no site da Câmara e também nos perfis e páginas institucionais dos vereadores.

Um dos maiores objetivos do projeto é aproximar os cidadãos dos parlamentares, através do incentivo à participação direta do povo campinense nas questões legislativas e da sensibilizar dos vereadores para afinarem suas proposições às demandas sociais. “O legislativo precisa ouvir os cidadãos na forma de projetos, tornando mais eficiente as demandas populares para despertar e obter maior participação popular e também a melhoria da imagem do parlamento”, disse.

Redação

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp