Vereador que teve vídeo íntimo divulgado finalmente quebra o silêncio: “Fui vítima de uma armação ou do meu próprio desconhecimento”

O vereador do município de Montadas, Sebastião da Costa Silva (PSB), conhecido na região como Basto de Militão, foi notícia na Paraíba, no Brasil e até mesmo em outros países, por causa de um vídeo íntimo em que o parlamentar se masturbava. A gravação parar em sua página de Facebook.

O fato, ocorrido em dezembro, ficou até o presente momento sem nenhuma declaração por parte de Basto, mas que finalmente resolveu quebrar o silêncio e se defender. “Eu esperei a poeira baixar para poder me defender. Tudo estava muito confuso a época”, disse o vereador.

Quando perguntado o motivo que levou ele a publicar o vídeo em seu Facebook, respondeu: “Jamais faria isso, sou uma pessoa do campo, mal sei mexer em celular, muito menos publicar algo desta natureza. O que aconteceu, é que fui vítima ou de armação ou do meu próprio desconhecimento em usar celulares”, e ainda completou: “A população de Montadas me conhece e ficou do meu lado. Recebi e recebo várias manifestações apoio e carinho, pois sabem do meu trabalho.”

O advogado do vereador, Dr. Bruno Regis também comentou o caso, uma vez que Basto foi notificado pelo Ministério Público da Paraíba a prestar esclarecimentos: “A única pessoa lesada aqui é o vereador. Trata-se de uma violação ao direito constitucional a sua privacidade. Ele não tinha absolutamente nada a ganhar com tal publicidade. Infelizmente não sabemos como isso foi parar em sua conta no Facebook, mas temos a certeza de que ele não foi o responsável.”

“O vereador teve seu nome veiculado em diversas mídias, sites, blogs e portais noticiaram o mesmo como sendo uma pessoa devassa, ou criminosa, quando na verdade a vítima é ele. Temos conhecimentos de casos semelhantes com pessoas famosas e quando ocorre com eles, toda opinião pública fica a seu favor e geralmente há processos milionários de danos à imagem, coisa que não ocorreu com Bastos de Militão”, argumentou o advogado.

O vereador teve um requerimento de afastamento protocolado pelo seu suplente, Michell Platimir, mas que foi rejeitado por 5 votos a 3 na Câmara Municipal de Montadas.

O parlamentar por fim, lamenta o acontecido e diz que só quer esquecer o ocorrido. “Não vejo a hora que isso passe e eu possa retomar minha vida, cuidar do meu ofício que é a agricultura e ajudar aos que mais precisam. Fui o maior prejudicado aqui, pode ter certeza”, finalizou.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp