Vossa excelência nos envergonha, diz Barroso a Gilmar no STF

Os ministro Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes voltaram a discutir, na tarde desta quarta-feira, durante uma sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), levando a presidente da corte, ministra Cármen Lúcia, a suspender a sessão.

O bate-boca ocorreu o julgamento que avalia a constitucionalidade das doações ocultas para campanhas eleitorais, mas o ministro Gilmar Mendes fez um aparte para cobrar que pedidos de habeas corpus tenham prioridade de julgamento conforme regra do tribunal.

Em determinado momento, quando Gilmar já tinha voltado ao tema da sessão e criticava a posição contrária ao financiamento privado de campanha, Barroso considerou que ele estava fazendo indiretas, e o acusou de ter “pitadas de psicopatia”.

“Me deixa de fora do seu mau sentimento. Você é uma pessoa horrível. Uma mistura do mau com atraso, e pitadas de psicopatia. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado. É um absurdo, Vossa Excelência aqui fazer um comício, cheio de ofensas, grosserias. Vossa Excelência não consegue articular um argumento, fica procurando, já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim. A vida para Vossa Excelência é ofender as pessoas,” afirmou Barroso.

“Vossa Excelência, sozinho, envergonha o tribunal. É muito ruim. É muito penoso para todos nós ter que conviver com Vossa Excelência aqui. Não tem ideia, não tem patriotismo, está sempre atrás de algum interesse que não é o da Justiça. É uma coisa horrorosa, uma vergonha, um constrangimento. É muito feio isso”, desabafou Barroso.

Cármen Lúcia suspendeu a sessão, mas Gilmar Mendes insistiu que estava com palavra, apenas para recomendar que Barroso feche seu escritório:

“Eu continuo com a palavra. Presidente, eu vou recomendar ao ministro Barros que fecha o seu escritório. Feche o seu escritório de advocacia”, provocou Gilmar.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp