Além da vacinação, sindicato condiciona volta às aulas em Campina Grande à adequações nas escolas municipais

Sintab em reunião com o secretário Municipal de Educação, Raymundo Asfora Neto (Foto: Ascom)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos do Agreste da Borborema (Sintab), Giovanni Freire, em entrevista à Panorâmica FM nesta quinta-feira (1º), avaliou a proposta de retorno às aulas híbridas na rede municipal de Educação de Campina Grande, já em agosto. Para ele, essa é uma decisão que precisa ser tomada em conjunto pela gestão municipal, sindicato e Ministério Público, levando em consideração alguns fatores.

Giovanni destacou que não será somente a vacinação dos profissionais da Educação que permitirá o retorno das aulas em modelo híbrido. “Além da vacinação, está sendo discutida a estrutura das escolas, porque não dá para voltar em agosto sem ter ocorrido nenhuma intervenção em um ano e três meses nas escolas. As salas de aula precisam ser adaptadas”, disse.

O sindicalista relatou que representantes do Sintab estiveram em 10 escolas do município apontadas para iniciar as aulas híbridas e detectou falhas, que foram transcritas para um relatório encaminhado ao Ministério Público. O ensino híbrido defendido pela Secretaria Municipal de Educação consiste na combinação de aulas presenciais no formato tradicional com o aprendizado online em um ambiente virtual.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp