ACOMPANHE NOSSAS REDES

Cidades

Lesões causadas por quedas são atendimentos mais comuns no Trauma-CG; veja dicas para evitar

Hospital de Trauma de Campina Grande tem registrado aumento no número de casos de pacientes vítimas de lesões causadas por acidentes domésticos, em especial por quedas. Em 2021, foram realizados 13.621 atendimentos desse tipo. O pico de vítimas registrado na unidade de saúde ocorreu em outubro, quando 1.352 pessoas foram atendidas. Junho foi o mês com menos casos direcionados ao hospital: 972 ao todo.

No ano passado, a maioria das ocorrências (3.399) envolveu crianças. Em seguida, aparece o atendimento das pessoas com mais de 60 anos, com 3.271 pacientes. A estatística tem como base as entradas registradas de janeiro a dezembro de 2021.

As ocorrências mais comuns atendidas na unidade hospitalar são queda da própria altura (em que a vítima cai do próprio nível em que se encontra, como na situação de tropeço) e queda de altura.

De acordo com o ortopedista Ericsson Marques, as fraturas mais frequentes ocorrem nos punhos e nos quadris, acidentes mais incapacitantes e com risco de morte.

No caso dos idosos eles caem por vários motivos, mas o principal é decorrente da fraqueza na musculatura. Já nas crianças, a incidência maior é de fratura em membros superiores, cujo tratamento, na maioria, é não-cirúrgico.

Segundo o médico, é importante ressaltar a gravidade dos casos entre idosos, já que as fraturas dos membros inferiores resultam em alto índice de mortalidade, pois o paciente geralmente fica acamado por longo período.

Para o ortopedista, a prevenção é a única forma de evitar quedas.  “As casas precisam oferecer segurança, com os cômodos bem iluminados e menos móveis e objetos que possam se tornar obstáculos, piso sempre seco e sem tapetes, ajuste da altura da cama e do vaso sanitário é se for possível, a instalação de barras de apoio em locais estratégicos [paredes, no banheiro, perto da cama do idoso, entre outros], uso de calçados confortáveis e antiderrapantes”.

O aposentado Tarcísio Rodrigues, de 66 anos, veio de Lagoa Seca para atendimento no Hospital de Trauma após sofrer um acidente doméstico e fraturar o fêmur. “Eu estava em casa quando sofri a queda. Tropecei na cozinha enquanto caminhava. Minha esposa chegou e prestou o socorro”, relatou o idoso.

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, que pertence ao Governo do Estado da Paraíba, oferece atendimentos de média e alta complexidades, atuando como referência em traumatologia para 203 municípios.

Dentro da unidade, a prevenção de quedas faz parte das rotinas assistenciais. O item consta entre as Seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente, definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo trabalhado de diferentes maneiras com colaboradores e pacientes.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados.