Mãe e filho juntos no Senado, Veneziano e o MDB, Campina Grande com três senadores e eleições 2022: o retorno de Nilda à cena política

137
Nilda Gondim e Veneziano Vital do Rêgo em Brasília (Foto: Ascom)

A chegada da primeira-suplente Nilda Gondim (MDB) ao Senado Federal em virtude da licença tirada pelo titular, José Maranhão (MDB) – que está tratando as sequelas da Covid-19, mesmo tendo vencido o vírus, gera alguns fatos importantes para a política brasileira e paraibana.

Primeiro, a ex-deputada federal passará a conviver em Brasília com o seu filho, o senador Veneziano Vital do Rêgo – eleito pelo PSB, mas sem partido no momento. Essa não é a primeira vez que mãe e filho trabalharão juntos na história do Brasil, pois a senadora Kátia Abreu (Progressistas) viu seu herdeiro político Irajá Abreu (PSD) eleito para o cargo em 2018. Eles representam Tocantis.

Outro ponto: crescem às especulações sobre o retorno de Veneziano ao MDB. A filiação do parlamentar é prioridade para a cúpula nacional do partido que quer a sigla forte e unida para disputar a Presidência do Senado. Pelo PMDB, Veneziano foi eleito e reeleito prefeito de Campina Grande e deputado federal. Ele deixou a sigla em 2018 e migrou para o PSB. A licença solicitada por Maranhão, além ocorrer por motivos de saúde, seria um claro gesto para a família Vital.

Cabe ainda destacar que Campina Grande passará a ter três senadores com base política na cidade, uma representatividade importante para a Rainha da Borborema. Além de Veneziano e Nilda, Daniella Ribeiro (Progressistas) representa a cidade e o Estado na Casa.

Durante alguns dias, a bancada paraibana no Senado será conduzida apenas por suplentes: de Daniella a professora Nailde Panta (Progressistas) e de Veneziano o e empresário Ney Suassuna (Republicanos). As licenças dos titulares se vencem no final deste mês e eles retornam aos trabalhos em Brasília, restando apenas Nilda como suplente na condição de senadora.

Por último, o clã Vital – leia-se Veneziano, Nilda e a ex-candidata a prefeita de Campina Grande, Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos) – com um eventual retorno do senador ao MDB, deverá conduzir o partido na Paraíba e trabalhar para compor a chapa majoritária em 2022 ao lado do governador João Azevêdo (Cidadania). A vice para Nilda ou Ana, mulheres e representantes de Campina Grande, é uma das opções do grupo.

Assim, é possível afirmar que a posse de Nilda Gondim como senadora coloca mais lenha na fogueira da política – sempre em chamas – da Paraíba e faz dela uma peça fundamental nas próximas movimentações após alguns anos apenas nos ‘bastidores’.

Redação Paraíba Debate – Gabriel Barbosa

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp