MPs apontam falhas no processo de vacinação contra a Covid-19 em Campina Grande

Prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (Foto: Codecom/CG)

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) apontaram nesta semana, mais uma falha no processo de vacinação em Campina Grande. Desta vez, recomendaram a atual administração que ‘observem rigorosamente as diretrizes e a ordem de prioridade definida no Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 e as Resoluções da Comissão Intergestores Bipartite’.

Erros – Os três ramos do Ministério Público recomendaram também que a Prefeitura de Campina Grande deve imunizar os trabalhadores das Forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas apenas no momento em que forem encaminhadas ao município doses de vacinas destinadas à efetiva imunização destes profissionais, de acordo com a ordem de prioridade do Plano Nacional de Vacinação e das Resoluções da Comissão Intergestores Bipartite. A recomendação foi expedida nesta sexta-feira (30) e assinada por membros do MPPB, MPF e MPT.

“Considerando que embora as Forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas estejam elencadas como prioridade no Plano Nacional da Vacina, no presente momento é possível a imunização contra a Covid-19 “exclusivamente” dos trabalhadores das forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas inseridos nas categorias elencadas na Nota Técnica Nº 297/2021-CGPNI/DEIDT/SVS/MS. São elas: trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes; Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar; Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a Covid-19; Trabalhadores envolvidos nas ações de implantação e monitoramento das medidas de distanciamento social, com contato direto com o público, independente da categoria”, destaca a recomendação, que pode ser lida na íntegra neste link.

Fura-fila – Recentemente, a medica e ex-secretária de Saúde, Tatiana Medeiros, por meio das suas redes sociais, fez uma grave denúncia, na qual, segundo ela, aliados de Bruno Cunha Lima, teriam recebido o aval do gestor para furar a fila da vacinação das doses recebidas pelo Governo Federal para a primeira etapa do programa nacional de imunização contra a Covid-19.

Conforme a médica, com o consentimento do prefeito, diversos aliados, que não estavam na linha de prioridades da primeira etapa da imunização, se vacinaram por serem amigos ou auxiliares do gestor.

“Formalizei denúncia no ministério público, com as provas colhidas e produzidas, pelos próprios vacinados, que furaram a fila de prioridade na vacinação contra à Covid-19 em Campina Grande. Ser amigo do Rei, garantiu essa prioridade”, disse Tatiana. Veja o post: https://twitter.com/TatianaMOficial/status/1351705615488475136?s=08

Em outra publicação, a médica afirma: “Essa fila, e essas prioridades deveriam ser respeitadas, principalmente, pelos gestores. Profissional de Saúde da linha de frente no enfrentamento à Covid-19 arrisca a vida diariamente, expõe os familiares diariamente, quantos foram ceifados? Exigimos respeito e transparência! Revoltante ver várias postagens de pessoas, ligadas à atual gestão de Campina Grande, sendo vacinadas”, enfatizou. Confira: https://twitter.com/TatianaMOficial/status/1351687811745935364?s=08

Veja também:

Compartilhar