ACOMPANHE NOSSAS REDES

Cidades

Teste nas águas do Açude Velho é realizado para depuração que diminuirá mau cheiro e cor esverdeada

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em parceria com a Prefeitura de Campina Grande (PMCG), está conduzindo um teste nas águas do Açude Velho de Campina Grande no trecho do canal, localizado como “Riacho das Piabas” que desemboca no Açude. O acordo de cooperação técnica entre as duas instituições possui o objetivo de desenvolver uma técnica de depuração das águas do principal ponto turístico da cidade, a fim de diminuir o odor e aspecto esverdeado do local.

A professora do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (PPGCTA) e pró-reitora adjunta de Infraestrutura da UEPB, Weruska Brasileiro, está à frente da cooperação desde o início e explicou que o aspecto esverdeado da água vem de algas que crescem em ambientes aquáticos poluídos. Esta contaminação é causada pelo excesso de fósforo, que advém de ligações clandestinas de esgoto não tratados e jogados no açude.

O tratamento buscado servirá para diminuir a presença de fósforo, o que, por sua vez, diminuirá a proliferação das algas. O teste realizado aconteceu num trecho de água represado justamente para este fim. O experimento é necessário para averiguar se o produto utilizado traria a resposta esperada. “O teste conduzido produziu resultado satisfatório, trazendo a diminuição do fósforo da água. Ademais, não apresentou problemas ou toxicidade à vida aquática”, afirmou a professora Weruska.

A docente e pesquisadora explicou que a ação da UEPB com a PMCG visa, neste momento, uma remediação: melhorar o aspecto visual e olfativo das águas. “Não é uma recuperação total porque demandaria uma série de outras operações, como combate ao assoreamento, ao lançamento de dejetos e tratamento do esgoto que ali deságua”, afirmou Weruska.

O próximo passo será a batimetria do açude, ou seja, a quantificação do volume da água, que será realizado com apoio da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA). Esta ação é necessária para saber com precisão a quantidade necessária de produto a ser utilizada em todo o açude.

Cooperação técnica
O acordo entre a UEPB e PMCG para o processo de limpeza das águas do Açude Velho foi firmado em julho de 2021 e desde então renovado. A contribuição está sendo feita por meio de expertise técnica, laboratorial e de pesquisa. A professora Weruska Brasileiro também coordena o Laboratório de Referência em Tecnologias de Águas (LARTECA), onde estão sendo executadas as análises das águas do açude. Ela mencionou que na UEPB há uma grande expertise em saneamento e já tinha avaliado, por meio de estudos de laboratório, que havia condições de minimizar o efeito de esverdeamento das águas.

Nestes quase dois anos de cooperação, a docente afirmou que a parceria tem sido bastante profícua, que as ações nunca pararam, porém, muitos prosseguimentos dependem de licitações próprias do serviço público, necessárias para seguir legislações vigentes.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados.